domingo, julho 14, 2024

Dicas Para Passar Em Concursos Jurídicos

Dicas Para Passar Em Concursos Jurídicos

Neste texto, serão abordadas dicas cruciais para quem está querendo passar em concursos jurídicos: qual concurso escolher e quanto tempo geralmente se leva para ser aprovado. O conteúdo oferece clareza essencial para futuras decisões.

Nosso objetivo é auxiliar na aprovação, oferecendo conteúdo prático, aplicável e baseado em fundamentos estruturados.

Primeiramente, vamos direto ao ponto para entender mais sobre concursos públicos. Este texto simplifica a visualização da dinâmica dos concursos, categorizando-os em níveis: primeiro, segundo, terceiro, quarto e quinto nível.

Em primeiro lugar, é fundamental compreender as diferenças entre esses níveis para planejar melhor sua preparação e alcançar o sucesso desejado.

Comece com o primeiro nível, que envolve concursos mais regionais, como os municipais, que podem ocorrer em câmaras ou prefeituras, e até em algumas universidades ou concelhos. 

Esses concursos são menos divulgados e, geralmente, têm menor competitividade e salários mais modestos, que variam entre 2 e 5 mil reais.

Dicas de como passar em concursos jurídicos

Dicas Para Passar Em Concursos Jurídicos
Dicas Para Passar Em Concursos Jurídicos. Imagem: reprodução

Eles tendem a ser mais acessíveis. Embora não existam concursos fáceis e muitos fatores possam influenciar os resultados, não é raro que pessoas com boa formação educacional consigam sucesso rapidamente nesses concursos. 

Frequentemente, conseguem uma aprovação inicial sem grandes dificuldades. No entanto, é importante entender que, mesmo sendo mais acessíveis, exigem estudo. Em média, seis meses de preparação são suficientes para começar a competir seriamente nesses concursos. Para ajudar nesse processo, aqui estão algumas dicas para passar em concursos jurídicos:

  1. Planejamento de Estudo:
    • Cronograma: Crie um cronograma de estudos que abranja todas as disciplinas exigidas.
    • Prioridades: Dê mais atenção às áreas onde você tem mais dificuldade.
  2. Materiais de Estudo:
    • Livros e Apostilas: Utilize materiais atualizados e específicos para concursos jurídicos.
    • Cursos Preparatórios: Considere a inscrição em cursos preparatórios, que oferecem orientação especializada.
  3. Técnicas de Revisão:
    • Resumo e Anotações: Faça resumos e anotações para revisar os conteúdos de maneira eficiente.
    • Mapas Mentais: Utilize mapas mentais para visualizar e organizar informações complexas.
  4. Prática de Provas:
    • Simulados: Realize simulados para se familiarizar com o formato das provas e o tipo de questões.
    • Questões Anteriores: Resolva questões de concursos anteriores para identificar padrões e focos recorrentes.
  5. Saúde Mental e Física:
    • Descanso: Garanta períodos adequados de descanso e lazer para evitar o esgotamento.
    • Atividade Física: Mantenha uma rotina de exercícios para melhorar a concentração e reduzir o estresse.

Seguindo essas dicas, suas chances de aprovação em concursos jurídicos aumentarão significativamente.

Entenda os níveis e complexidade do concursos

Existem diversos níveis de concurso público, no entanto, os concursos jurídicos, é nível 2. No segundo nível, estão os concursos de nível técnico. Eles no entanto não requerem formação superior e estão relacionados a carreiras que demandam conhecimento específico, não acadêmico. 

Exemplos incluem cargos no Banco do Brasil, INSS e como escreventes técnicos judiciários. Esses concursos incluem disciplinas básicas e outras específicas ao cargo. Por exemplo, no INSS, é fundamental conhecer Previdência Social, pois está diretamente ligado às funções do cargo.

A maioria dos cargos em concursos públicos está neste segundo nível. Para estar competitivo nesses concursos, leva-se geralmente de um a dois anos de estudo dedicado, embora a aprovação definitiva também dependa da periodicidade de abertura dos editais. 

Se um concurso como o do INSS demorar cinco anos para abrir, esse fator externo também deve ser considerado. Contudo, com cerca de dois anos de preparo, estará adequadamente posicionado para competir.

Entenda o nível 3

No terceiro nível, encontram-se os concursos técnicos de nível federal, como os de tribunais federais (TRF, TRE, TRT). Esses concursos exigem um nível de conhecimento mais aprofundado e, além disso, geralmente oferecem salários entre 8 e 9 mil reais.

Além das disciplinas básicas, é comum que esses concursos incluam redações e outras formas de avaliações que demandam um conhecimento mais extenso e específico. Sobretudo, é fundamental que os candidatos se preparem adequadamente para enfrentar a concorrência e as exigências específicas dessas provas.

Mais uma dica para passar em concursos jurídicos que deve acatar!

A competição também é mais qualificada nesse nível, refletindo a elevação no potencial salarial. Normalmente, dois a três anos de preparação são necessários para atingir uma competitividade eficaz nesses concursos. Além disso, essa dedicação intensiva é essencial para dominar o conteúdo exigido e desenvolver as habilidades necessárias para se destacar entre os concorrentes.

Em seguida, é importante manter um cronograma de estudos rigoroso e atualizado, visto que os editais podem mudar a qualquer momento.

Entenda o nível 4

No quarto nível, estão as carreiras de analista, que abrangem desde funções policiais até analistas de tribunais e do Ministério Público. Esses cargos exigem um conteúdo ainda mais vasto e um nível de exigência superior, com salários que podem variar de 10 a 15 mil reais.

O tempo médio para se conseguir uma aprovação eficaz nesses concursos varia de três a quatro anos, considerando um estudo sério e técnico.

Finalmente, no quinto nível, estão os cargos mais elevados do funcionalismo público, como os da magistratura, defensoria, carreira fiscal e Tribunal de Contas. Esses cargos oferecem salários acima de 20 mil reais e podem alcançar até 30 mil reais. A preparação para esses concursos é a mais exigente, com muitos candidatos levando de cinco a seis anos para alcançar a aprovação, devido ao volume e à profundidade do conteúdo requerido.

Dicas de como passar em concursos jurídicos?

Hoje, debatendo os benefícios e as limitações do cargo de juiz federal, além do percurso necessário para se tornar um no Distrito Federal. Primeiramente, necessário possuir um bacharelado em Direito e três anos de prática jurídica. Também essencial ter a ficha limpa, porque qualquer pendência criminal elimina as chances na sindicância de vida pregressa para cargos de magistrado federal.

Um ponto interessante é como comprovar os três anos de atividades jurídicas, o que pode ser feito de várias maneiras. A mais comum é através da advocacia privada. Lembrar que tempo de estágio não conta; apenas o período após a graduação. Para comprovar atividade jurídica, precisa de cinco atos processuais em cinco processos distintos ao longo de um ano. Por exemplo, assinando cinco apelações ou contrarrazões em um dia, já consegue comprovar a atividade jurídica desse ano.

Muitas vezes, mais complicado esperar os três anos passarem para implementar os requisitos do que comprovar os cinco atos processuais. Inscreva-se como advogado na justiça federal, assinando cinco contrarrazões em um ano, depois assinando mais cinco contrarrazões ou apelações no ano seguinte, cumprindo assim os requisitos da atividade jurídica para comprovação na magistratura federal. Existem outras possibilidades para comprovar o exercício de atividade jurídica nesse período.

Dicas e etapas para passar em concursos jurídicos

O concurso para juiz federal, segundo a Resolução 75 do CNJ, possui várias etapas. A primeira é a prova objetiva, seguida pela prova escrita. A terceira etapa envolve a sindicância de vida pregressa e exames psicotécnicos para garantir que o candidato esteja mentalmente apto, pois não queremos juízes instáveis. 

A quarta etapa é a prova oral, que avalia a capacidade de articulação e o controle emocional do candidato, verificando se ele pode presidir uma audiência. A quinta etapa é a prova de títulos, que serve para que os magistrados possam escolher melhores localizações. 

Aqueles que obtêm melhores pontuações nas provas de títulos podem escolher cidades mais convenientes, como metrópoles ou cidades com melhor infraestrutura, em detrimento daqueles com pontuações mais baixas, que ficam em locais mais remotos. Além disso, essa vantagem nas escolhas permite um equilíbrio entre vida profissional e pessoal, uma vez que os aprovados têm a oportunidade de selecionar locais que melhor atendam às suas necessidades e preferências.

Em seguida, é fundamental investir na preparação para as provas de títulos, visto que elas podem ser um diferencial decisivo na classificação final.

Como é a prova escrita?

A prova escrita é uma discursiva, abrangendo vários temas. Depois, há uma prova de sentença, considerada uma das mais difíceis, onde o candidato deve redigir uma sentença que será rigorosamente avaliada, pois é uma atividade típica de magistrados. Muitas pessoas perdem pontos nessa etapa. Já na fase oral, a maioria é aprovada, pois o foco está na avaliação da capacidade de comunicação.

A aprovação na prova oral é vista com mais naturalidade do que na prova objetiva, onde, contudo, é comum muitas pessoas serem eliminadas. De 15 mil inscritos, apenas 300 passam para a próxima etapa e, em seguida, desses, apenas 30 chegam à prova oral. Esse é o filtro do concurso: uma prova elimina 14.700 candidatos e a seguinte elimina mais 270. Visto que se está competindo com os 300 melhores, o que torna o processo bastante seletivo.

O TRF organiza 51 concursos para as 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª regiões, oferecendo cinco oportunidades para fazer as provas. Ao contrário da magistratura do trabalho, que agora tem um concurso nacional unificado, a magistratura federal ainda oferece cinco concursos. Portanto, aproveite essas oportunidades e, se Deus quiser, torne-se um ótimo juiz federal. Comente se conseguir e agradeça pelos conhecimentos compartilhados.

Lista com melhores cursos preparatórios para concursos jurídicos em 2024:

  1. Estratégia Concursos: Conhecido por seu alto índice de aprovação, oferece material em PDF, videoaulas e fórum de dúvidas, cobrindo uma ampla gama de concursos públicos com diferentes planos de assinatura, incluindo uma específica para carreiras jurídicas​ (Dr. Concursos)​.
  2. Gran Cursos Online: Este curso é elogiado pela qualidade do seu material e pela garantia de satisfação que oferece, além de ter uma variedade de planos que incluem acesso ilimitado a todos os seus cursos regulares​ (Quero Passar em Concursos)​.
  3. AlfaCon: Especialmente forte em preparatórios para carreiras policiais, mas também cobre uma ampla gama de outros concursos públicos. Oferece videoaulas e materiais em PDF, com foco na preparação intensiva​ (Pensando Hoje)​.
  4. Nova Concursos: Oferece uma assinatura ilimitada com acesso a uma vasta gama de materiais, incluindo livros e apostilas específicas para diferentes concursos de tribunais, com questões gabaritadas e comentadas​ (Portal Vida Livre)​.
  5. Aprova Cursos: Proporciona uma variedade de cursos de especialização e preparatórios para concursos, oferecendo descontos e acessos a partes gratuitas de seus cursos​ (Aprimoramente | Descubra onde aprender)​.

Conheça quais os cargos para concursos judiciário

Nos tribunais, denomine os cargos de acordo com o nível de escolaridade. Em primeiro lugar, para nível superior, chame os cargos de analista. Nos tribunais, esses cargos são conhecidos como analista judiciário. Dicas para passar em concursos jurídicos: saiba identificar os cargos e suas exigências.

Além disso, para nível médio, denomine os cargos como técnicos. Em concursos de tribunais, os cargos são conhecidos como técnico judiciário. Portanto, ao encontrar um edital do tribunal mencionando analista judiciário, saiba que se trata de um cargo de nível superior. Se mencionar técnico judiciário, entenda que é para cargos de nível médio. Dicas para passar em concursos jurídicos: estude o edital com atenção.

Existem muitos tribunais no Brasil, e a nomenclatura pode variar de um edital para outro. Contudo, utilize a mesma nomenclatura: analista judiciário para cargos de nível superior e técnico judiciário para cargos de nível médio. Dicas para passar em concursos jurídicos: familiarize-se com a terminologia utilizada.

Exemplos – Dicas de como passar em concursos jurídicos

Veja o Tribunal de Justiça de São Paulo. No Tribunal de Justiça de São Paulo, o principal cargo de entrada é o de escrevente técnico judiciário. Note que o título “escrevente técnico judiciário” indica um cargo de nível médio.

Portanto, fique atento, pois é possível encontrar diferentes nomenclaturas nos editais. Contudo, de modo geral, a nomenclatura padrão é: analista judiciário para cargos de nível superior e técnico judiciário para cargos de nível médio.

Tipos de Cargos e Funções

Compreender a diferença entre juízes, desembargadores e ministros é fundamental para entender a estrutura do Poder Judiciário no Brasil.

Cargo de juiz 

O juiz, também chamado de magistrado, conduz o processo e toma decisões dentro dele. Este cargo é de enorme responsabilidade, visto que o juiz é o profissional que mais impacta a vida das partes envolvidas, decidindo o desfecho do problema levado à justiça. 

Todo magistrado inicia a carreira como juiz substituto, trabalhando em conjunto com o juiz titular para adquirir experiência. Após dois anos, o juiz se torna vitalício, ou seja, só pode ser afastado do cargo por uma sentença transitada em julgado, o que garante que ele exerça suas funções sem temer represálias.

Dentro da magistratura, há diversas carreiras e concursos específicos. Por exemplo, para atuar na justiça estadual, é necessário passar no concurso para juiz de direito. Dicas para passar em concursos jurídicos podem ser muito úteis nesse percurso. Existem também juízes federais, do trabalho e militares, cada um com seu respectivo concurso. No caso da justiça eleitoral, o juiz é um magistrado estadual designado para atuar nessa área.

Além disso, os tribunais são organizados em diferentes instâncias. Em primeiro lugar, na primeira instância, o magistrado é chamado de juiz. Em seguida, na segunda instância, ele é conhecido como desembargador. Nos tribunais superiores, como STF, STJ, TST e TSE, o magistrado é denominado ministro. Essa terminologia varia conforme a instância em que o magistrado atua.

Promotor de justiça

Entenda o promotor de justiça como um profissional crucial no sistema jurídico brasileiro, responsável por proteger a ordem jurídica e a ordem democrática junto ao Ministério Público, assegurando a aplicação da lei de maneira justa e equitativa.

O Ministério Público

Conheça o promotor de justiça como membro do Ministério Público, uma instituição autônoma e independente que age em defesa da sociedade, sem representar interesses individuais ou particulares. Observe que o Ministério Público atua em diversas esferas, incluindo estadual, trabalhista e federal. Neste texto, foque na atuação dos promotores de justiça estaduais.

Funções do Promotor de Justiça

  • Defesa da Sociedade: Veja o promotor de justiça trabalhando em prol do interesse público, assegurando que os direitos e deveres sejam cumpridos de maneira imparcial e justa. Ele não defende uma parte específica no processo, mas sim os interesses da coletividade como um todo.
  • Atuação Penal: Em casos criminais, reconheça o promotor como o responsável pela acusação, apresentando provas e argumentos para que a justiça seja feita contra aqueles que violam a lei.
  • Direito de Família: Em situações envolvendo menores, observe o promotor agindo para proteger os direitos e interesses das crianças, garantindo que seu bem-estar seja priorizado.
  • Outras Áreas: Além dessas, identifique os promotores de justiça desempenhando funções em diversas outras áreas de relevância para a sociedade, sempre com o objetivo de manter a ordem e a justiça.

Requisitos para Ser Promotor de Justiça

Para seguir a carreira de promotor de justiça, primeiramente, cumpra alguns requisitos fundamentais:

  1. Formação em Direito: Seja graduado em Direito como o primeiro passo essencial.
  2. Prática Jurídica: Adquira três anos de prática jurídica, que pode ser obtida através de advocacia ou outras carreiras relacionadas ao Direito.
  3. Concurso Público: Em seguida, passe por um concurso público, que é bastante competitivo e composto por cinco fases:
    • Prova objetiva
    • Prova prática de peça processual
    • Investigação de antecedentes
    • Prova oral
    • Estágio probatório

Concurso Público – Dicas de como passar em concursos jurídicos

Participe dos concursos para promotor de justiça, realizados periodicamente e oferecendo cerca de 50 vagas. O processo seletivo inclui diversas etapas, como provas teóricas, práticas e uma avaliação oral realizada por uma banca de procuradores.

Remuneração

Receba uma remuneração elevada para o cargo de promotor de justiça, visto que reflete a responsabilidade e a complexidade do trabalho. Em média, o salário é de R$ 24.000,00, tornando a carreira atraente para muitos profissionais do Direito.

Dicas de Estudo de como passar em concursos jurídicos

Para aqueles que desejam seguir esta carreira, adquira um profundo conhecimento em Direito Penal. Aqui estão algumas recomendações de livros para auxiliar nos estudos:

Compreenda que ser promotor de justiça é uma carreira desafiadora e altamente recompensadora, sobretudo essencial para a manutenção da ordem jurídica e democrática no Brasil. Se interesse nesta área, prepare-se bem, estude com dedicação e empenhe-se para alcançar os objetivos.

Defensor

O advogado público trabalha na Defensoria Pública, proporcionando assistência jurídica gratuita para cidadãos que não podem pagar por serviços legais. Além disso, defende direitos humanos e coletivos, sobretudo de grupos vulneráveis.

Os advogados públicos são profissionais de Direito com pelo menos dois anos de experiência e aprovação em concurso. Eles defendem interesses de assistidos que não têm recursos para advogados privados. Uma vez que atuam nessa função, têm responsabilidades específicas.

Para se tornar advogado público, é necessário ser bacharel em Direito e ter experiência jurídica. Inscreva-se no concurso público da Defensoria Pública, que inclui várias etapas, como prova escrita, sustentação oral e avaliação de títulos. Em primeiro lugar, é fundamental preparar-se bem para cada etapa do concurso.

Como funciona?

Comprovadamente, os clientes sem recursos para constituir um advogado podem buscar a Defensoria Pública para assistência jurídica. A Defensoria Pública possui atribuições para promover ação civil pública ou qualquer outra ação, sobretudo capaz de garantir a tutela de direitos difusos, coletivos ou individuais homogêneos, beneficiando pessoas hipossuficientes.

A Defensoria Pública não se vincula aos Três Poderes, sendo uma instituição que assegura unidade, indivisibilidade e independência funcional. Em primeiro lugar, unidade significa que a defensoria é uma instituição única; quando um defensor atua, representa toda a instituição. Além disso, a indivisibilidade permite que defensores se substituam, agindo em nome da defensoria pública, não como indivíduos particulares.

Visto que a independência funcional garante liberdade de atuação, sem subordinação a outros órgãos, defensores públicos são aprovados por concurso público, garantindo inamovibilidade, irredutibilidade de vencimentos e estabilidade. É vedado o exercício de advocacia fora das atribuições institucionais.

Mais essa de muitas dicas para passar em concursos jurídicos, aproveite!

Conclusão – Dicas de como passar em concursos jurídicos

Passar em concursos jurídicos exige um planejamento estratégico e muita dedicação. A escolha do concurso certo é fundamental e deve ser baseada nas suas metas pessoais e profissionais. O tempo de preparação pode variar significativamente de acordo com o nível do concurso e a complexidade dos conteúdos abordados.

É crucial entender que cada nível tem suas peculiaridades e desafios específicos, que vão desde concursos municipais, passando pelos cargos técnicos e analistas, até as carreiras de magistratura e outras posições de alta responsabilidade no serviço público.

Primeiramente, é importante estar ciente das exigências e requisitos de cada concurso, além disso, preparar-se adequadamente para as etapas de seleção. Uma vez que você compreenda as particularidades de cada nível, poderá direcionar melhor seus esforços e aumentar suas chances de sucesso.

Para aumentar suas chances de aprovação, é necessário investir em um cronograma de estudos bem estruturado, que contemple todas as disciplinas exigidas, priorizando áreas de maior dificuldade.

Utilizar materiais de estudo atualizados e específicos para concursos jurídicos, como livros, apostilas e cursos preparatórios, pode fazer a diferença. Além disso, técnicas de revisão, como resumos, anotações e mapas mentais, ajudam na retenção do conteúdo. todos os dias temos máterias como Concursos Públicos com Maiores Salários

Esperamos que tenha gostado de nossas dicas para passar em concursos jurídicos. Não prca tempo.

Rolar para cima
Pesquisar

Navegue

Siga-nos

Ao continuar navegando, você concorda com nossos Termos de Uso e Polí­tica de Privacidade.