domingo, julho 14, 2024

Dicas Para Gerenciar Finanças Pessoais: Dicas Práticas para Jovens

Dicas Para Gerenciar Finanças Pessoais

Imagine como estará nos próximos cinco, quinze ou até vinte anos, para isso veja nossa lista de dicas para gerenciar finanças pessoais. Pense nos principais objetivos que deseja alcançar no futuro.

A maioria das pessoas tem uma ideia clara de onde quer chegar, mesmo que essa ideia ainda esteja um pouco nebulosa. No fundo, todos sabemos o que queremos construir e conquistar. Muitos desses planos incluem estar em uma boa situação financeira. Para isso, é essencial ter um bom planejamento financeiro hoje. Um planejamento detalhado aumenta consideravelmente as chances de transformar sonhos em realidade.

Estudos de Harvard, em parceria com a Universidade da Califórnia, demonstram que pessoas com planos formais e documentados por escrito têm 50% mais chances de realizá-los do que aquelas com objetivos e planos apenas em mente, sem nada registrado.

Portanto, se ainda não fez o planejamento, está na hora de começar. Iniciar uma nova tarefa é naturalmente complicado, especialmente quando não se tem certeza de como proceder. Pensando nisso, foi criado este texto, que reúne 15 dicas de rápida aplicação para começar a fazer o planejamento financeiro ainda hoje. Então, vamos a elas.

Como Ter um Planejamento Financeiro de Sucesso para o Futuro

Dicas Para Gerenciar Finanças Pessoais
Dicas Para Gerenciar Finanças Pessoais. (Imagem: reprodução)

1: Começar com um benefício em mente

Um planejamento financeiro precisa ter um propósito muito claro. Além disso, esse propósito é o motivo pelo qual se está parando tudo e dedicando tempo ao planejamento. Deve ser, sobretudo, os benefícios que o planejamento trará no futuro e o que se pretende conquistar.

Primeiramente, concentre-se na vida dos sonhos, visto que imaginar-se atingindo os objetivos no futuro é fundamental. Em seguida, estabeleça metas específicas que guiarão suas ações. Contudo, lembre-se de que o caminho pode ter obstáculos, mas a clareza no propósito ajudará a superá-los.. Certamente isso dará uma boa dose de motivação para começar o planejamento.

2: Investir o precioso tempo

Quantas vezes você parou tudo o que estava fazendo para planejar um evento passageiro, como uma festa de aniversário ou uma viagem? Agora, quantas vezes fez isso para planejar o futuro financeiro? Provavelmente nenhuma. A maioria das pessoas age assim. Contudo, pense: se é possível investir o precioso tempo planejando eventos passageiros, mesmo que importantes, por que não investir um pouco do tempo para planejar o futuro financeiro? Garanta que o planejamento financeiro é muito mais importante do que, por exemplo, a próxima comemoração de aniversário.

3: Gastar menos do que ganha

Essa frase é adaptada de Thomas Jefferson, que há séculos já tinha compreendido bem essa questão. Por mais óbvia que essa dica possa parecer, muitas pessoas, contudo, não a cumprem. Segundo estudos do HSBC, 38% dos brasileiros não são poupadores regulares, e isso não tem relação com o quanto ganham. Existem pessoas que ganham dois mil reais por mês e conseguem poupar todos os meses, assim como pessoas que ganham vinte mil reais por mês e não conseguem poupar.

Como desenvolver esse hábito para dicas para gerenciar Finanças Pessoais?

Uma boa estratégia seria seguir a regra do “Pague-se Primeiro”. Primeiramente, quando receber o salário ou remuneração, separe um percentual desse valor diretamente para investimentos. Trabalhar com o percentual de 15% é uma boa prática, mas isso varia de pessoa para pessoa. Esta regra do “pague-se primeiro” deve ser levada ao pé da letra, como se fosse um imposto direto sobre a receita, um imposto que vai financiar uma vida melhor no futuro.

4: Montar uma reserva de emergência

Uma reserva financeira é um montante separado exclusivamente para cobrir gastos de emergência que não estejam previstos no orçamento. Serve para auxiliar na reorganização da vida caso algo inesperado aconteça. É muito usada principalmente em caso de perda de emprego, emergências médicas, reparos na casa ou no carro, ou dificuldades no negócio. O tamanho da reserva de emergência deve ser baseado nas despesas médias mensais. Sugere-se que essa reserva tenha pelo menos o equivalente a três meses de despesas e, no máximo, doze meses de despesas. Esse montante deve ser investido em títulos de renda fixa com rentabilidade líquida após o imposto de renda.

5: Criar um orçamento pessoal

Outro passo muito importante do planejamento, sobretudo, é a criação do orçamento pessoal. Em primeiro lugar, comece anotando absolutamente todas as entradas e saídas financeiras da conta corrente. Será possível enxergar com clareza para onde o dinheiro está indo. Muitas pessoas dizem saber onde gastam dinheiro, mas descobrem a realidade quando fazem o orçamento pessoal. A partir desse ponto, será possível criar esse orçamento, que nada mais é do que um plano para onde gastar o dinheiro.

6: Listar todos os sonhos, objetivos e desejos de vida

Chegou a hora de entrar para a estatística daqueles que têm um objetivo claro e por escrito. Pegue uma folha em branco ou abra um documento no computador e comece a listar os planos. Reflita sobre tudo que é verdadeiramente importante. Coloque também em ordem de prioridade, definindo o que é mais relevante. Não tenha vergonha de ter sonhos e objetivos.

7: Determinar um prazo para cada item da lista

Depois de listar os objetivos, em seguida, defina um prazo para cada um deles. Não precisa ser uma data exata, mas é necessário saber em quantos anos se pretende atingir cada objetivo. Isso é crucial para determinar como investir o dinheiro. Você podee usasr uma planilha!1

Veja na prática!

Planilha de Prazos e Vencimentos

Pegue um exemplo e aprimore ou crie uma planilha simples, passo a passo, para controle de prazos e vencimentos. Além disso, aprenda a criar um alerta para notificar sobre o status de vencimento de contratos ou produtos. Adapte essa dica para outras planilhas no Excel.

Veja a planilha de prazos e vencimentos. Com cores e alerta, siga o passo a passo para criar uma planilha personalizada. É importante entender como ajustar a planilha conforme as necessidades específicas, sejam elas mais simples ou avançadas. 

Com funciona?

Visualize contratos, clientes, início, término e situação. Em seguida, crie uma nova planilha. Insira a data usando a função HOJE(), atualizando-a automaticamente. Adicione números dos contratos e nomes dos analistas ou vendedores responsáveis.

Liste empresas contratantes como X e Y. Calcule a data de término somando 365 dias à data de início para contratos anuais. Formate datas no formato abreviado.

Calcule dias a vencer subtraindo a data de hoje da data de término. Se o resultado for negativo, o contrato está expirado. Para isso, utilize a função SE() para determinar a situação: vencido, a vencer, renegociar ou OK.

Após criar essas fórmulas, adicione formatação condicional para colorir as células conforme a situação: vermelho para vencido, amarelo para a vencer, laranja para renegociar e verde para OK.

Por fim, adicione um filtro para facilitar a visualização e análise das informações.

Passo a Passo Detalhado

Em primeiro lugar, crie uma nova planilha no Excel. Dedique a primeira coluna aos números dos contratos, usando números sequenciais, como 01, 02, 03, e assim por diante. Isso ajudará a organizar e identificar cada contrato de forma única.

Analistas Responsáveis

Insira os nomes dos analistas ou vendedores responsáveis por cada contrato na segunda coluna. Exemplos de nomes podem ser Rita, Alex, entre outros, para identificar quem está gerenciando cada contrato.

Empresas Contratantes

Liste as empresas contratantes na terceira coluna, usando exemplos como Delta, Gama, Beta, Alfa e Y, para identificar rapidamente qual empresa está associada a cada contrato.

Datas de Início e Término

Insira a data de início do contrato na quarta coluna. Em seguida, calcule a data de término automaticamente adicionando 365 dias à data de início para contratos anuais. Utilize a função HOJE() para garantir que a data esteja sempre atualizada.

Dias a Vencer

Calcule os dias a vencer subtraindo a data de hoje da data de término. Se o resultado for negativo, significa que o contrato já expirou. Utilize a função SE() para determinar a situação: vencido, a vencer, renegociar ou ok.

Formatação Condicional

Aplique formatação condicional para colorir as células de acordo com a situação: vermelho para vencido, amarelo para a vencer, laranja para renegociar e verde para ok. Isso facilita a visualização rápida do status de cada contrato.

Adicionar Filtro

Adicione um filtro na planilha para facilitar a visualização e análise das informações, permitindo filtrar rapidamente os contratos por cor ou situação.

Observação:; Você encontra planilhas no docs.google, e pode fazer com mais facilidade.

8: Determinar um valor financeiro para cada item da lista

Após criar a lista de objetivos e definir um prazo para cada um, sobretudo, chegou o momento de atribuir um valor financeiro para cada item. Ao final, saberá exatamente onde quer chegar, em quanto tempo e quanto precisa acumular para isso.

9: Investir o dinheiro considerando os objetivos

Com a lista de desejos e objetivos pronta e a reserva financeira devidamente criada, chegou a hora de começar a investir. Lembre-se de que objetivos com prazos diferentes requerem investimentos em produtos distintos.

10: Descobrir o número para a independência financeira

Provavelmente um dos objetivos será tornar-se financeiramente independente. Isso significa viver exclusivamente da renda passiva gerada pela carteira de investimentos. Para descobrir quanto precisa acumular para isso, é necessário considerar o quanto se deseja receber mensalmente no futuro e o retorno esperado da carteira de investimentos.

11: Contratar um seguro de vida com cobertura para invalidez

Essa dica vale para quem tem dependentes financeiros. Se alguém depende da renda para viver, é importante calcular o impacto financeiro da ausência e contratar um seguro que cubra esse impacto.

12: Entender a importância do tempo para investimentos e ter paciência

No mundo dos investimentos, o tempo é um fator crucial devido aos juros compostos. Quanto maior o horizonte temporal dos investimentos, maiores serão os efeitos dos juros compostos.

13: Analisar o retorno real dos investimentos

Sempre considere o retorno obtido acima da inflação, ou seja, o retorno real. Um retorno nominal pode ser ilusório se a inflação for alta.

14: Fazer o rebalanceamento da carteira de investimentos regularmente

O rebalanceamento consiste em ajustar a composição da carteira de investimentos para mantê-la alinhada com os objetivos e perfil de risco.

15: Revisar o planejamento financeiro pelo menos uma vez por ano

Defina prazo, sobretudo, para revisar o planejamento financeiro e promover o rebalanceamento da carteira. Isso pode ser feito a cada três meses, seis meses ou um ano, dependendo do que for mais adequado.

Dica bônus: Planejar doações para a caridade

Planejar doações para a caridade pode ser uma das melhores coisas a se fazer. Estudos demonstram que há uma relação clara entre dinheiro gasto com outras pessoas e felicidade. Além disso, presenteie as pessoas que se mais gosta. Surpreenda-se com o efeito positivo dessa atitude.

Agora, ficou muito mais fácil organizar as finanças pessoais. Por fim, deixe um comentário abaixo dizendo o que achou deste texto e inscreva-se no site para mais textos como esse. Um grande abraço e bom planejamento financeiro!

Organizando Finanças no Dia do Pagamento: Dicas para Jovens –

O início do mês é sempre esperado com ansiedade, aquele momento em que finalmente recebemos o salário após um mês de trabalho árduo. No entanto, para muitos, esse momento de alegria é passageiro, já que há uma lista interminável de contas a pagar. Neste texto, vamos ver como se organizar no dia do pagamento e adotar a mentalidade necessária para uma gestão financeira mais eficiente. Aqui estão algumas dicas para gerenciar finanças pessoais de forma eficaz.

Pare de Fazer Contabilidade Mental

Primeiro, abandone a contabilidade mental. Isso significa tentar controlar seus gastos e ganhos apenas na mente, acreditando que é possível gerenciar tudo sem anotar nada. Planejamento financeiro, no entanto, não é algo que pode ser feito em segundos; é necessário revisar todos os detalhes do seu orçamento. Quando tudo é anotado, muitas vezes você se surpreende ao perceber pequenos gastos que passam despercebidos. Então, Anote tudo: o que você ganha, gasta, se tem dívidas ou renda extra. Isso ajuda muito na organização financeira.

Tenha Clareza dos Seus Custos e Ganhos

Deixar bem claro quais são os seus custos, quanto é necessário para se manter, quais são as dívidas e quanto você ganha facilita muito a organização. Se você não trabalha com carteira assinada e não tem uma renda fixa, é ainda mais crucial ter um controle financeiro detalhado para evitar problemas que poderiam ser evitados. Independentemente de ter uma renda fixa ou variável, um bom controle financeiro é essencial. Essa é uma das principais dicas para gerenciar finanças pessoais com sucesso.

Crie uma Reserva de Emergência

Outro ponto é internalizar a importância de criar uma reserva de emergência. Muitas vezes, há a tentação de pular essa etapa por causa de muitos conteúdos sobre investimento e renda passiva, mas não se pode dar um passo maior que a perna. É preciso ter uma reserva de emergência antes de pensar em investir, pois imprevistos acontecem e é fundamental ter dinheiro guardado para emergências.

Priorize a Quitação de Dívidas

Se ainda houver dívidas, o primeiro passo é quitá-las. Faça um planejamento financeiro realista, veja quanto realmente você tem e pode usar para pagar as dívidas sem comprometer o seu dia a dia. Renegocie dívidas, mas sem comprometer sua capacidade de pagamento. Entre as dicas para gerenciar finanças pessoais, priorizar a quitação de dívidas é fundamental para manter a saúde financeira.

Evite Economias Insensatas

Outro ponto importante é evitar economias insensatas. Comprar coisas só porque estão em promoção ou contratar pacotes que não são utilizados são exemplos de economias insensatas. Seja realista com o que realmente é necessário e evite o consumismo exagerado.

Separe uma Quantia para Investir

No dia do pagamento, também separe uma quantia para investir. Entenda que investir não vai te enriquecer do dia para noite. É um processo que potencializa os resultados ao longo do tempo. Mesmo que só haja um pouco para investir, comece. Investir pouco permite errar e aprender, e com o tempo, pode-se aumentar os aportes. Essa é uma das mais valiosas dicas para gerenciar finanças pessoais a longo prazo. Ée iimportaante saber sobre estratégias de crescimento para pequenas empresas.

Conclusão

Planejar o futuro financeiro é um passo crucial para garantir que você possa alcançar seus sonhos e objetivos a longo prazo. Pensar em onde você quer estar nos próximos anos, sobretudo, e estabelecer um plano claro pode fazer uma diferença significativa em sua vida. Como mostrado em estudos de Harvard e da Universidade da Califórnia, aqueles que documentam seus planos têm uma probabilidade muito maior de sucesso.

Iniciar o planejamento financeiro pode parecer desafiador, mas é um esforço que vale a pena. Utilizar as dicas apresentadas, como começar com um benefício em mente, gastar menos do que ganha, montar uma reserva de emergência, e criar um orçamento pessoal são passos fundamentais para construir uma base financeira sólida. Além disso, listar seus objetivos, definir prazos e valores financeiros para cada um, e escolher os investimentos certos para alcançá-los são práticas que podem levar você à independência financeira.

Rolar para cima
Pesquisar

Navegue

Siga-nos

Ao continuar navegando, você concorda com nossos Termos de Uso e Polí­tica de Privacidade.