domingo, julho 14, 2024

Segredos Oficiais e a ótima atuação de Keira Knightley

Segredos Oficiais

Tony Blair e George W Bush se envolvem em uma operação complexa e ilegal no longa.

Keira Knightley faz uma atuação das melhores para o filme “Segredos Oficiais” que é baseado em fatos reais. Um roteiro um tanto dinâmico e cheio de nuances partindo de perspectivas de cada um dos personagens.

Segredos Oficiais atuação de Keira Knightley

A situação da personagem de Katharine, feita pela atriz Keira Knightley, é bastante intrigante, no entanto segue a narrativa de um ideal ultrajante. A personagem trabalha como tradutora de mandarim que obtém acesso a tórridos segredos confidenciais da Agência de Segurança Nacional Britânica.

O filme segue uma temática interessante, pois dá mais foco aos personagens em si do que a história, diferente de outros filmes com o mesmo tema, bem como “O Quinto Poder” (2003).

Por não limitar as personagens e sujeitá-las a história foi que a atriz Keira Knightley teve uma atuação esplendida no papel de uma tradutora que se vê a frente de segredos confidenciais do governo. Acima de tudo tendo que provar a veracidade de seus questionamentos.  

Segredos Oficiais sinopse  

O suspense se encontra no filme diretamente quando a personagem principal, Katherine Gun, tradutora da GCHQ, agência de inteligência Britânica, tem assuntos vazados. Ou seja, uma ordem do governo dos Estados Unidos para espionar membros do Conselho de Segurança da ONU. Baseado em fatos reais, o longa tem os personagens em primeiro plano, dando assim, mais emoção e sensibilidade ao espectador.

Segredo revelado

No entanto, essas informações revelavam que o governo dos Estados Unidos  estava espionando os membros do conselho para obter informações e arquitetá-las para uma provável votação a favor da guerra do Iraque. Por sua vez, Gun teme pela vida de inocentes em um confronto militar e resolve publicar as informações. Mas, como nada é tão simples, terá que provar que suas informações são verdadeiras, e por isso é enquadrada no ato de segredos oficiais da constituição britânica.

Divulgação

Em paralelo a isso ocorrem na Inglaterra diversas manifestações contra a invasão. Aliada a isso, Gun fornece aos ativistas o conteúdo do memorando com a ilegalidade da suposta pressão a ONU para a ação militar. Com as informações em mãos, os ativistas as tornam públicas. Logo após isso, o Governo começa uma empreitada para descobrir quem foi o traidor do estado, e para proteger suas colegas de profissão, Gun as confessa.

Crítica

A história de “Segredos Oficiais” terá mais audiência para aqueles que acompanham assuntos referentes à política. Em contrapartida, se direciona a dois personagens bastante reais, George W Bush e o ministro Tony Blair. Cuja audácia é bastante enfatizada ao pedir ajuda um do outro para conseguir a aprovação da ONU para a guerra no Iraque. Isso ocorreu em 2003 quando os dois ainda estavam no poder.

Usando de pressuposto que o Iraque tinha armas químicas perigosas e que assim teriam que entrar em guerra com ele. Contudo, a personagem central do longa, uma tradutora de mandarim do governo se vê em uma situação de responsabilidade humanitária. Isso quando chega a ela um memorando com ilegalidades através da pressão do governo ao “forçar” a ONU a aprovar a invasão do Iraque.

Vista por muitos como uma heroína comum no filme, no entanto uma traidora para alguns dos personagens. Além disso, todos que a protegem no filme, como seu marido, os amigos, os ativistas e o advogado estão sob pressão o tempo todo. O diretor faz questão de enfatizar todos esses personagens mais que o próprio fato da história de “Segredos Oficiais”. Colocando assim nós todos na pele de cada um e deixando o fato a mercê da história ocorrida.

Os personagens se interligam durante o decorrer do filme, trasbordando cada aspecto e situações, a pressão, a preocupação, o suspense e o impacto. A personagem de Gun é tratada de forma cruel e com forte pressão, mas sempre amparada pelo marido, este de origem muçulmano, e também pelo advogado Ben Emmerson.

Atenção

Vale à pena conferir “Segredos Oficiais”, ainda mais para as pessoas que adoram finais surpreendentes. O diretor Gavin Hood aplicou a medida certa, para quem estava acostumado com os filmes de ação. Gavin conseguiu que o filme fluísse bem, apesar de estar tratando de um suspense à parte dramática se encontra encaixada de maneira correta na visão da personagem central e seu marido. Isso eleva a história a um patamar bastante linear e bem explicado do filme.  

Contudo, você sente na pele a pressão que a protagonista sofre, aliada a seu marido e toda a complexidade da situação em que se envolveram quando a reportagem do Jornal Observe é divulgada.

Rolar para cima
Pesquisar

Navegue

Siga-nos

Ao continuar navegando, você concorda com nossos Termos de Uso e Polí­tica de Privacidade.