terça-feira, junho 18, 2024

A Revolução Francesa: resumo após a tomada do país

Na continuação falaremos como foi a Revolução Francesa durante e após a tomada da França pelos revolucionários. Na primeira fase pudemos observar uma população cheio de coragem, esperança e fúria.

Confira agora a segunda fase: como foi todo o processo depois que o povo assumiu o poder.

Neste momento tudo estava conforme os franceses queriam. Sobretudo, a França estava sob o domínio da população e a monarquia em suas rédeas. Assim como o sistema político, que não funcionava mais como antigamente, para o alívio de todos.

Como já foi dito no artigo anterior os títulos de nobreza foram retirados e as principais mudanças estavam sendo feitas na sociedade.

No entanto, a França ainda precisava se reerguer e fazer com que a nova constituição funcionasse. O povo desfavorecido pelo poder absoluto da monarquia, queria sua dignidade de volta.

Confira a seguir como a população revolucionária reagiu durante e depois da Revolução Francesa.

Como ficou a realeza após a Revolução Francesa?

A Revolução Francesa: resumo após a tomada do país
Imagem: Divulgação.

Num primeiro momento Luís XVI não teria mais todo aquele respeito que um dia exigia como rei, pois os tempos eram outros. O palácio se tornou um ambiente bastante frequentado, principalmente pelos lideres revoltosos da revolução.

Apesar disso, a monarquia austríaca família da então Arquiduquesa da Áustria Maria Antonieta, resolve intervir e declarar guerra contra a França. Em outras palavras, estavam com medo das ideias revolucionárias invadissem seu país.

Isso ocorreu em 20 de abriu de 1792.

A família real francesa era a única que estava feliz com essa guerra, pois, acreditavam que assim a revolução pudesse acabar. Mas, em 10 de agosto de 1792, uma multidão invade o palácio real em Paris, capturam Dom Luís XVI e o levam para a prisão. Isso tudo acompanhado de sua esposa Maria Antonieta.

Então, os dois acusados de traição são encarcerados e assim chega ao fim a monarquia na França.

Fim da Guerra da Áustria contra a França

Os revolucionários ainda tinham uma Guerra para resolver, e as atenções se voltaram para a batalha. França mesmo com poucos homens para guerrear e um país em meio ao caos, enfrentam dois inimigos fortíssimos, a Áustria e a Prússia. No entanto, os revolucionários fazem algo inusitado, distribuem armas a população.

Uma atitude insana, uma vez que a população teria que lutar com um exército de homens treinados para a guerra, um grande desafio para todos. Mas, a batalha conhecida na história como Valmy foi positiva, e em 20 de setembro de 1792, na primeira coalisão, a população armada vence.

Surgimento da República na Revolução Francesa 

A França estava com a economia em frangalhos e, sobretudo, socialmente destruída. Foi quando surgiu a República Francesa, com intuito de melhorar a conjuntura social, econômica e política do país. Mas, para piorar a situação, o país se polarizava durante a Revolução Francesa.

Ao passo que, existiam duas frentes políticas formadas pelos Girondinos e os jacobinos. Do lado da direita tinham os Girondinos que eram o grupo apoiado pela nobreza e o baixo clero. Além disso, esse grupo recebia apoio de uma personagem importante da Revolução Francesa, o líder Jacques Pierre Brissot.

Brissot estava cansado das guerras e se sentia satisfeito com as conquistas feitas pela Revolução Francesa. Porém, o que ele queria mesmo era o fim da Revolução naquele momento. Além da restauração da monarquia parlamentar, ou seja, uma França reconstruída.

Nesse meio tempo, o lado esquerdo formado pela burguesia francesa, os Jacobinos queriam mais … mais revolução, sangue e guerra. Além deles, um trio de peso apoiava esse lado. O trio era composto por Danton, Marat e Robespierre. Para eles três a Revolução Francesa ainda estava no começo, e por isso queriam mais.

Robespierre foi um dos responsáveis pela condenação do Rei Luís XVI, morto por guilhotina em 21 de janeiro de 1793 na Praça da Revolução em Paris. Ele é decapitado na frente de uma multidão estarrecida, bem como sedenta de sangue.

O que foi o Reino do Grande Terror?

A guilhotina era a morte mais comum na Revolução Francesa. Imagem: Ilustrativa.

Com a França agitada e fora de controle o Reino Unido, Espanha e outros países se desesperam com a situação. Então, toda a Europa se une para formar a primeira Coalisão de proteção contra os franceses revoltosos.

Ao mesmo tempo, os Jacobinos caçam todos que fazem qualquer manifestação contra Revolução Francesa. Seja pessoas pertencentes ao grupos armado de civis, ou não. Com isso ocorre mortes de 130 mil pessoas entre eles civis. 

E os Jacobinos assumem o poder da França nesse período, onde é instaurado o regime do “Grande Terror”. Em outras palavras, o auge da ditadura liderada por Maximilien Robespierre.

Mataram muita gente nesse período!

Todo aquele que fosse contra a Revolução, sem distinção, era guilhotinado. Maria Antonieta entrou na dança e foi decapitada junto com os demais. E assim o Reino do Terror sobreveio e a França tornou-se um mar de sangue.

França em meio ao caos, fome e pobreza

Com dezenas de pessoas mortas e praticamente quase todos os Girondinos eliminados, Robespierre obtêm todo o poder. Além disso, o país está um o caos com a economia quebrada, fome, pobreza e muita gente passando necessidade.

Foi quando o povo percebeu que o lema de transformação, liberdade e mudanças havia se transformado em desespero. Os Jacobinos estavam lutando por seus próprios interesses, e a população mais pobre eram meras marionetes na mão da burguesia.

Este é o final do segundo período, e o mais radical da Revolução Francesa, datado de 1792-1794. Nesta época, mais de 40.000 pessoas de todas as classes sofreram com o Grande do Terror.

Porém, ainda existia um pequeno grupo de Girondinos que começava a articular um plano para assumir o poder da França. Então, eles se movimentaram para dar o Golpe que ficou conhecido como, o Golpe do 9 Termidor, no dia 27 de julho 1794.

Este golpe foi uma série de eventos organizados pelos Girondinos para colocar fim ao Regime do Terror na França. Isso ocasionou a queda de Robespierre que tenta se matar, mas não consegue. Sendo assim, é levado junto ao comitê da salvação que o condena a morte de guilhotina.

Fim do poder dos Jacobinos, e por sua vez, fim do tempo do Grande Terror.

O Governo dos Girondinos e o fim da Revolução Francesa?

Os Girondinos começam a preparar manobras para reorganizar a economia, restaurar o sistema político e ajustar a Assembleia Legislativa. Conseguem, de certa forma planejar, e, além disso, criam um regime político que recebe o nome de Diretório.

No entanto, a França estava tão despedaçada que nada disso funcionou direito. O país estava na miséria, ninguém aguentava mais. Quando chega à França Napoleão Bonaparte. O líder político/militar invade Paris, toma o poder dos Girondinos e com isso chega ao fim a Revolução Francesa.

Napoleão torna-se o chefe supremo da França, cria o consulado e dilui o Diretório. Através de Napoleão a França se reergue, de uma maneira nunca vista antes. Neste período, a França se tornando um novo império mundial.

Fique pode dentro de toda a história em: História da França: resumo da história francesa.

Um fato interessante: Em outubro de 1789 ocorreu a famosa Marcha das Mulheres, ainda vamos falar sobre isso! Mas, esta Marcha foi um dos primeiros eventos a acontecer durante a Revolução Francesa. Esse levante ocorreu por conta da inflação alta que a França estava passando naquele momento, onde ninguém conseguia comprar sequer um pão para comer, pois custava muito caro.

Um evento significativos do início, no primeiro ano da Revolução Francesa. Em 5 de outubro de 1789, as mulheres saiam às ruas em protesto por causa do alto preço e a escassez de alimento.

Gostou? Fique conosco e conheça mais da história!

Rolar para cima
Pesquisar

Navegue

Siga-nos

Ao continuar navegando, você concorda com nossos Termos de Uso e Polí­tica de Privacidade.